A Menina que Roubava Livros



Nome: A Menina que Roubava Livros
Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Páginas: 478
Avaliação: 3/5

*Sinopse maior que muitos relacionamentos por aí... :D

Sinopse: A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, porém surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente - a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los em troca de dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. Essa obra, que ela ainda não sabe ler, é seu único vínculo com a família. Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a cumplicidade do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que a ensina a ler. Em tempos de livros incendiados, o gosto de roubá-los deu à menina uma alcunha e uma ocupação; a sede de conhecimento deu-lhe um propósito. A vida na rua Himmel é a pseudorrealidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um jovem judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela história. A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa desse duro confronto entre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto.


Olá leitores e leitoras, tudo bem?

Hoje eu vou (finalmente) trazer a resenha do livro A Menina Que Roubava Livros... Foi difícil... muito difícil, mas eu terminei a leitura. 

Muita gente sabe do que se trata esse livro, mas para o desavisados, ele não fala apenas de uma garota que rouba livros, isso é só um detalhe.

Nesse livro, vamos ouvir uma história contada pela morte. Bem estranho isso, mas é de longe o ponto mais alto do livro. Ela vai nos contar sobre as vezes em que encontrou com a nossa personagem principal(Que é um probleminha, a morte encontra ela 3x e tem histórias de uma vida para contar...mas enfim). A menina vive com os seus pais adotivos no período da 2ª Guerra Mundial. A garota não entende muito bem o que está acontecendo, mas ouvindo a conversa dos adultos e aprendendo a ler alguns livros, ela vai se situando no contexto histórico e começa a entender como anda o mundo em que ela vive.

Muita gente acha que esse livro se trata de uma menina que vive várias aventuras roubando livros alheios. Muito pelo contrário! Esse livro vai nos mostrar como foi a vida de Liesel durante a Segunda Guerra Mundial, ao olhar de uma criança. Sim, ela rouba alguns livros, mas isso é apenas um detalhe. Aliás, um detalhe bem importante. Não é nada confirmado, mas eu interpretei o título do livro como uma pessoa que não lê e acha que o mundo está certo, a partir do momento em que ela começa a "roubar" conhecimento, os livros e tal, sua mente avança para outro patamar e te dá a habilidade de pensar muito mais além. Talvez eu esteja falando groselha, mas é uma ótima reflexão =D

Enfim, o livro é basicamente isso, a 2ª Guerra aos olhos de uma garotinha.

Já começo dizendo eu esse não é um livro de fácil leitura. Tem uma escrita bem monótona e arrastada. Os acontecimentos são bem vagarosos. O livro todo tem praticamente o mesmo ritmo do início ao fim, afinal, a morte está narrando. Mesmo com esse ritmo lento, você quer continuar por conta da curiosidade que desenvolve. É muita coisa que precisa ser esclarecida.

A monotonia do livro pode incomodar um pouco, mas existem cenas engraçadas para quebrar o clima. São várias crianças e muitas atitudes e pensamentos deles que ajudam e muito no desenvolvimento da leitura. Quero destacar as cenas que eu mais gostei, e para quem leu, com certeza deve ter gostado também. São elas as brincadeiras e as cenas de roubo. Fora aquela cena hilária do menino Rudy que queria ser Jess Owens... incrível!

O contexto histórico presente no livro é riquíssimo! Por se passar na 2ª Guerra, vamos ter contato com vários elementos dela. Ajuda bastante a entender como tudo funcionava na época do Hitler. É uma ótima dica para quem está estudando sobre as guerras.

Durante o desenrolar do livro, a morte para para fazer algumas explicações que me incomodaram bastante. Muitas vezes, quando uma nova personagem surgia, o autor optou por parar tudo e contar muita coisa desnecessária sobre a vida dela. Por exemplo, um padeiro na rua. Não tinha muita necessidade de contar a vida toda dele só por ter encontrado ele na esquina, entende? Com isso e a quantidade enorme de detalhes sobre coisas que não fazem muito diferença, a leitura pode demorar.

A escrita do autor é bem interessante. Tem um toque culto e histórico. Gostei bastante, porém o livro perdeu alguns pontos com o ritmo lento, que como muitos de vocês sabem, me incomodam bastante!

No geral, é um livro muito bonito e com muita informação sobre a guerra e tal. Sem contar que é uma história muito emocionante mesmo. Tem muita coisa que vai te tirar algumas lágrimas. São muitas as cenas emocionantes. Eu sei que no inicio você pode se sentir cansado de tanta coisa, mas por favor, leiam até o final que tem muita informação bacana e muita cena emocionante.

Esse livro tem uma adaptação cinematográfica de mesmo nome. Não vou mentir, por conta do ritmo do livro, eu gostei muito mais do filme e não posso deixar de indicar para vocês! Assistam e leiam que pelo menos de um deles vocês vão gostar!

Depois de dois anos prometendo, finalmente eu conseguir terminar a leitura desse livro e aqui está a resenha! Espero que vocês tenham gostado!

Até a próxima!


Siga o blog no Google Friends Connect e as redes sociais para ficar por dentro de tudo que acontece por aqui! Muito obrigado pela visita! 


Blog Literando || Facebook || Twitter  || Instagram || Skoob || Snapchat - vitorlpb