Nome: Tallulah 
Lançamento: 29/Julho/2016 (Exclusivo Netflix)
Diretor: Sian Heder
Elenco: Ellen Page, Allisson Janney +
Gênero: Drama.
Classificação: 14 anos.

SinopseLu (Ellen Page), uma jovem independente, teve o seu dinheiro roubado pelo ex-namorado. pobre e morando em uma van, ela decide procurar a mãe dele, Margo (Allison Janney), que não a conhece e nega ajudar. Em um hotel buscando por comida, Lu conhece uma mãe descuidada para cuidar da sua filha. Lu decide "resgatar" a criança e levá-la até Margo, dizendo que a bebê é a neta dela. 








Olá leitores e leitoras, tudo bem?
E mais uma vez estou aqui para falar de filme, desta vez sobre o Tallulah, outra produção original Netflix. A empresa tem feito grandes apostas e acertado várias vezes, como é o caso de OITNB, Stranger Things, entre outros. Desta vez, também fez muito bem, mas por ser um filme de drama e "Slice of life" (Já explico o significado), talvez não agrade a todos, mas com já falei aqui zilhões de vezes, é o meu estilo favorito!

Vamos lá!

O filme é bem simples, vai nos mostrar esse momento da vida de Lu, que separou do namorado, com qual vivia a quase dois anos em uma van. Com esse estilo de vida bem diferente, ela precisa de dinheiro para sobreviver. Ela decide então ir na casa do rapaz procurar ajuda da mãe, mas ela diz que não a conhece e nega.

Ela visita um hotel para procurar comida, quando é confundida com uma funcionária por uma mulher que é mãe. Lu se deixa levar pela situação e aceita ficar com a criança enquanto a mãe vai a um encontro. Na volta, ela percebe que a mãe da criança não "serve muito bem" e resolve levar a bebê com ela... 
Desesperada, ela volta para a casa da mãe do seu ex e fala que a criança e filha deles e pede abrigo por alguns dias... A partir daqui, temos o desenvolvimentos do filme.

Resultado de imagem para tallulah

Bom, o filme é um drama, então já é de se esperar que teremos um roteiro simples, sem muita surpresas e tal, porém devemos reconhecer que ficou muito bom, principalmente com filmes desse gênero. Não ficou cansativo e conseguiu ser conduzido até o final sem muito esforço. É um filme cheio de momentos que trazem uma reflexão. Os assuntos não são tratados diretamente, mas pelos diálogos, percebemos do que estão falando e ainda conseguimos entender a mensagem por trás.
Teremos contato aqui com temas relacionados à família, maternidade, casamento e relacionamento em geral, e um pouco de conflito interno para dar um gostinho a mais na trama.

As personagens também são bem desenvolvidas. Cada um com sua particularidade e problemas a serem resolvidos em suas vidas. Nada muito gritante, mas o suficiente para termos um envolvimento e torcer para que tudo dê certo no final.
Resultado de imagem

A Ellen Page é bem conhecida no cinema, principalmente pelo seu trabalho em Juno (Amo <3). A atuação dela é boa, juntamente com os outros atores/atrizes, mas foi bem difícil conseguir desassociar a Juno da Lu, o estilo de vida louco e tal. Porém nada que atrapalhe... E ela foi um dos motivos pelo meu interesse no filme, gosto muito <3

O final... Vamos falar sobre ele:

Como eu citei lá em cima, esse é um filme "Slice of life", que significa "Fatia da vida", ou seja, ele vai mostrar um momento da vida dessas pessoas. Começa do nada e termina do nada, dando a entender que essas pessoas viveram coisas no passado e vão continuar vivendo no futuro. O final desse filme é o que deixa muita gente com o pé atrás e falando que não gostou, eu até entendo, mas vamos analisar.


Resultado de imagem


O filme termina com uma cena que, na vida real, é isso que aconteceria de um jeito ou de outro. Qualquer decisão que ela tomasse, aquilo aconteceria, não é? Não tem para onde correr. A cena final é apenas ela indo para um lugar "x" e pronto.  Esse não é um final ruim, teve um desfecho e tudo foi resolvido. Talvez não da maneira Sessão da Tarde, como muitos gostam e estão acostumados, mas sim com a dura realidade. A cena deixa a entender o que realmente aconteceu e é aquilo.

Vi comentários na internet de pessoas não gostando porque "não teve final", e não é bem isso. O filme tem um final, que faz muito sentido e é bem digno. Slice of life, dali para a frente, aquela será a vida das pessoas e é isso. É um gênero que eu gosto muito pois trata de pessoas e suas vidas cotidianas... 

A trilha sonora do filme é tão simples quanto uma parede branca. Existe, mas não chama muita atenção. É o essencial para o gênero, mas poderia ter sido um pouco melhor para deixar o clima mais sentimental. A produção do filme também não chama muita atenção, apesar de ter uma fotografia bem bonita e até algumas cenas com efeitos especiais.

Eu gostei bastante do filme. Apesar de ser um gênero que eu gosto muito, o filme é bem simples, sutil, sem muitas surpresas, mas que conta uma história interessante sobre família e suas ramificações. Com algumas reflexões, esse é o tipo de filme feito para amantes do gênero dramático e para aqueles que gostam de assistir um filme calmo, com uma mensagem para relaxar. Se você curte filmes com temas mais densos, com temas tratados diretamente, e não gosta de filmes """sem final""", talvez seja melhor manter uma certa distância, mas quem sabe não é?


Então é isso!
Se você assistiu, gostou, não gostou, pretende ver, deixe aqui nos comentários, vamos conversar =D
(Netflix, que tal um patrocínio? aqueles ahahahah )

E claro, como de costume, as notas para vocês terem uma ideia do quando gostei (ou não =D).

Roteiro: 8/10
Personagens: 8,5/10
Trilha Sonora: 7/10
Produção: 8/10

Média: 7,8



Até o próximo! 
Siga o blog no Google Friends Connect e as redes sociais para ficar por dentro de tudo que acontece por aqui! Muito obrigado pela visita! 


Blog Literando || Facebook || Twitter  || Instagram || Skoob || Snapchat/Instagram pessoal - vitorlpb